Após devastação do furacão Florence, igrejas ajudam vítimas

furacao-florence

 

O furacão Florence tocou o solo nesta sexta-feira (14). Com ventos de até 150 quilômetros por hora, causou destruição e o saldo de cinco mortos. Reduzido à condição de “tempestade tropical”, perdeu força e muitas pessoas já estão voltando para suas casas.

Nos últimos, dias, mais de 1.5 milhão de moradores haviam evacuado as áreas de maior risco, nos Estados da Carolina do Norte, Carolina do Sul e Virgínia. Agora, cerca de 300.000 casas estão sem luz.

Diferentes igrejas da região, além de missões evangélicas como a Bolsa do Samaritano e a Operation Blessing, estão oferecendo apoio físico e espiritual aos atingidos.

Franklin Graham, líder da Bolsa do Samaritano diz que foram enviados vários caminhões com alimentos e ferramentas, além de reunir centenas de voluntários. Ele acredita que haverá muito a ser feito nas próximas semanas. Em entrevista à Fox, defendeu que não se deve esperar apenas pelo governo nesse tipo de situação.

“A Igreja precisa orar, mas também ajudar os necessitados… Deus não está irado com as pessoas [atingidas] e tudo que fazemos é para demonstrar seu amor”, explica.

O ministério mandou 200 capelães treinados para ministrar em situações de calamidade. Leo Grabowski, um experimentado pastor, relata que eles estão distribuindo Bíblias, orando com as pessoas e já há testemunhos de conversão.
União dos pastores

“Nosso foco principal agora é garantir que todos que precisem possam receber os suprimentos que precisam – água, alimentos, lanternas – para superar a tempestade”, disse Jeff Blackburn, pastor da Igreja Batista em Lumberton, Carolina do Norte.

O líder evangélico costumava trabalhar como eletricista. Ele agora está usando esses talentos para ajudar aqueles que estão sem luz em casa. “Eu nunca pensei que Deus seria capaz de usar essas habilidades para que eu pudesse compartilhar o Evangelho e fazer discípulos”, explicou ele à CBN. “Deus juntou as duas coisas e Ele pode usar esse conjunto de habilidades.”

Na cidade em que ele vive, o ginásio da Escola de Ensino Médio de Lumberton está servindo como abrigos para os que não puderam voltar para suas casas. Ali, cerca de 300 pessoas esperam até que possam reparar suas residências.

“Eu agradeço a Deus por estarmos aqui e orar a Deus. Ele nos mantém seguro através da tempestade”, disse Michael Black, que está alojado na escola.

Mike Bowen, pastor da Igreja Batista de East Lumberton, destaca que a tragédia acabou sendo uma maneira de unir líderes de várias igrejas. Eles planejam distribuir alimentos e suprimentos para quem precisar. O templo de sua igreja funcionará como um “centro de distribuição” nos próximos dias.

Há crentes que veem sua fé sendo testada, mas não perdem a confiança. “Deus vai cuidar de mim”, disse Angela Culler, moradora de Lumberton. “Mesmo se eu perder tudo, Deus vai trazer de volta. Ele faz.”

Na cidade vizinha de Rennert, Sarah Oxendine também se apega à fé nesse momento difícil. “Pessoalmente, ainda estou com medo dessa tempestade, mas sei quando estou servindo um homem chamado Jesus e Ele nos ajudará a recuperar”, disse ela.

 

Fonte: Gospel Prime

 

logo

Apesar da derrota, Seleção do Panamá ora e dá testemunho.

 

 panama

De joelhos no meio do campo, e orando juntos, vários com as mãos levantadas para o céu. Foi assim que a Seleção do Panamá agradeceu a Deus após o segundo jogo da Copa do Mundo. Apesar dos 6 a 1 da Inglaterra, na segunda derrota que decretou sua eliminação, os jogadores deram um belo testemunho de fé no campo.

Eles já haviam feito o mesmo no primeiro jogo, dia 18, contra a Bélgica, onde foram derrotados por 3 a 0.

Grande parte dos jogadores são evangélicos e eles parecem estar agradecidos por estarem participando da competição. É a primeira vez que o Panamá consegue se classificar. Além disso, o zagueiro Felipe Baloy marcou o primeiro gol panamenho da história da Copa do Mundo.

Conforme mostraram as câmaras, tanto os jogadores em campo quanto os torcedores nas arquibancadas comemoraram o único gol de seu time como uma grande vitória.A imagem dos jogadores orando correu o mundo.

Baloy escreveu em seu perfil no Twitter: “Graças a Deus, graças à minha família e graças ao Panamá, uma meta histórica para o meu país, os sonhos são realizados com base no trabalho e no esforço. #FéEmDeus”.

 

Fonte: Gospel Prime

logo

Cristãos marcham contra “ideologia de gênero” na Croácia

Croacia

 

Milhares de conservadores foram às ruas da Croácia para protestarem contra a adesão do país à Convenção de Istambul, acordo pan-europeu que defende uma agenda pró-LGBT. Originalmente criada para “prevenção da violência contra as mulheres”, a versão mais recente do tratado defende gênero como “construção social”, pede a legalização dos casamentos gays e a garantia de direitos a pessoas transexuais.

Os manifestantes fizeram orações e cantaram canções patrióticas. A maior marcha ocorreu neste sábado (24), na capital Zagreb. Promovida pela oposição conservadora da Croácia e a Igreja Católica, eles pedem que o Parlamento croata não ratifique o acordo que já foi assinado por 44 países.

As faixas e cartazes em defesa dos “valores cristãos” e da “família tradicional”, foram classificados pela imprensa como discurso de “extrema-direita”, ainda que o país seja predominantemente católico.

No início desta semana, o governo da Croácia anunciou a adoção dos documentos da Convenção. No mês passado, esse mesmo tratado foi rejeitado por Bulgária e Eslováquia, por objeções similares sobre a imposição da ideologia de gênero.

O governo croata buscou um meio-termo, pedindo ao parlamento para ratificar o tratado, mas emitiu uma declaração em separado, afirmando que não mudaria a definição da lei atual de casamento como “união entre um homem e uma mulher”.

A indignação dos conservadores é tanta, que eles pediram que o primeiro-ministro Andrej Plenkovic renunciasse, acusando-o de ter traído o voto conservador. O pedido deles é que seja feito um referendo sobre o assunto.

Kristina Pavlovic, uma das organizadoras do protesto, afirmou: “Eu acho que isso pode ser um ponto de virada para a Croácia, quando devemos decidir preservar os valores da família ou deixarmos que Bruxelas (sede da União Europeia) nos diga que pode haver dois pais ou duas mães”.

“Eu protesto pelo meu neto, bisneto e todos aqueles que deram suas vidas pela Croácia”, asseverou um veterano do exército. Com informações de Reuters

 

Fonte: Gospel Prime

 

logo