Cavar é Preciso

cavar

Gn. 26.17-22

Introdução: O valor da água no Oriente Médio, uma região seca. Podemos comparar a água às bênçãos que precisamos, sejam espirituais ou naturais.

1- Fontes opcionais.
Deus poderia ter enviado Isaque para morar à margem de algum rio. Poderia tê-lo enviado a uma região de chuvas constantes, mas Deus lhe enviou para um lugar árido. A facilidade não gera experiência (Rm.5.3-4) nem contribui para o desenvolvimento de habilidades ou do próprio caráter.
Filhos que sempre têm tudo fácil podem se tornar pessoas acomodadas e relativamente incapazes.
2- Fontes profundas.
Naquela terra havia água, mas estava em grande profundidade. Deus não deseja que sejamos superficiais. Precisamos buscar ao Senhor (Mt.7.7), conhecê-lo e ter intimidade com ele.
A vida cristã exige envolvimento, compromisso, imersão total.
3- Fontes difíceis.
Para encontrar água era necessário muito esforço. Antes de achar água era preciso enfrentar muita terra seca. Era preciso cavar e depois lutar pelos poços. Existem dificuldades naturais e inimigos espirituais. Precisamos trabalhar com esforço e perseverança, seja na vida natural ou espiritual (jejum, oração, obediência, etc). O poço de Abraão não foi suficiente. Isaque precisou cavar seu próprio poço. A experiência alheia, mesmo dos próprios pais, pode ser útil, mas não será suficiente.
4- A vitória da perseverança.
O nome dos poços trazem significados interessantes: Eseque significa "luta".
* Sitna significa "luta". Reobote significa "espaços largos". A luta é constante mas não é eterna. * Antes de alcançarmos "espaços largos" precisaremos passar por caminhos apertados e portas estreitas.